sábado, 27 de outubro de 2018

Os truques da imprensa desportiva - Defendendo Rui Vitória, mas...


Foi isto que ele disse. Não tem nada a ver com percentagens de vitórias...Tem a ver com a rapidez a que se chega a determinado número de jogos ganhos - Quantos jogos precisam para ter x vitórias?

Ora bem, na primeira época do Rui Vitória na Champions ele precisou de 6 jogos nos grupos para ganhar 4. Passou aos oitavos e ganhou os dois jogos, precisando de 8 jogos para conseguir 6 vitórias.

Para comparação, o Jesus precisou de 16 jogos na Champions para chegar às mesmas 6 vitórias...

Até aqui, parece que o Rui Vitória falou verdade porque em 8 jogos ganhar 6 na champions é um número brilhante.


Na segunda época do Rui Vitória as coisas pioraram um pouco precisando, no acumulado, de 18 jogos para chegar a 8 vitórias. O Jesus chegou às 8 vitórias na Champions aos 19 jogos...

Para a última vitória do Rui Vitória na Champions, a vitória número 9 com o AEK na Grécia, o Rui Vitória precisou de...26 jogos. Jesus chegou à vitória 9 no jogo 23. 

Isto sem contar com os jogos de qualificação que Rui Vitória tanto se orgulha.

domingo, 12 de agosto de 2018

Só para lembrar que o Jonas é o melhor jogador do Benfica (pelo menos) desde que tivemos o Aimar

Com dores de costas ou sem dores de costas, com um salário maior ou mais pequeno.

(Ainda no ano passado, se o Benfica esteve perto de ganhar o campeonato a ele o deve)

quinta-feira, 7 de junho de 2018

descongelamento e progressões de carreiras dos professores

Tem havido grande algazarra entre os professores para virem a ser aumentados tendo como base os anos de serviço, coisa que aparentemente foi congelada para toda a função pública e agora descongelada para todos menos para os professores. Descriminação! gritam eles e com razão, mas....

"Em 2017, dos mais de 90 mil alunos que realizaram as provas de aferição de História e Geografia do 2.º ciclo, 45% não conseguiram localizar Portugal continental em relação ao continente europeu utilizando os pontos colaterais da rosa-dos-ventos, revela o “Diário de Notícias” esta terça-feira." diz o Expresso. 

Acredito que os bons professores leiam esta notícia com desagrado e até um pouco de vergonha, porque não se pode desresponsabilizar a classe por resultados destes, mesmo não sendo os professores os únicos culpados. 

Assim, é fácil perceber que progressões automáticas para todos baseando-se apenas nos anos de serviço demonstra quão errada é, ou era, o requisito para subir o ordenado.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Aposta na formação a qualquer custo

Não. A capacidade produtiva do Seixal já provou ter alguma qualidade, mas a grosso modo não aquela necessária a permitir a entrada de juniores na equipa principal. Hoje pode-se olhar para trás e perceber que as grandes bandeiras da formação benfiquista são o Bernardo Silva e o Gonçalo Guedes. Destes, o Benfica só soube aproveitar o segundo, o que é manifestamente pouco e demonstrativo de alguma incompetência na avaliação do craque. Mas de resto, o melhor que de lá tem saído são jogadores de qualidade acima da média mas a necessitar de períodos de maturação mais longos e cuja integração no plantel principal só serve para atrasar o desenvolvimento dos próprios jogadores. A teoria é a seguinte: ou sai da formação preparado para se aguentar a titular uma dúzia de jogos sem comprometer a equipa ou tem que sair pelo melhor negócio possível, seja ele empréstimo ou venda definitiva.

Aparecem agora notícias a dizer que o Diogo Gonçalves e o João Carvalho poderão sair. Estes jogadores, apesar de serem acima da média e pelo menos no caso do Diogo Gonçalves haver uma atitude competitiva enorme, foram-lhes dadas as oportunidades na equipa principal adequadas, mas não provaram que poderiam ser solução imediata. Percebe-se que poderão vir a ser grandes jogadores, mas também poderão vir a não ser...deve o Benfica pagar para ver? Não. Nestes casos, o melhor é vender o jogador e deixá-lo ir à sua vida, evitando empréstimo atrás de empréstimo de forma a que outros clubes possam adquiri-los para os seus quadros e valorizá-los como seus. Se o jogador de facto vier a ser realmente bom, o Benfica haverá de o comprar outra vez. Ou então ele valerá mais do que o Benfica poderá pagar e vai para outro clube qualquer. Bom para o jogador e bom para o futebol. O Benfica só tem de garantir que os que lá ficam são melhores no imediato do que os que deixa sair.
Site Meter Site Meter