segunda-feira, 31 de março de 2014

Problemas com a eutanásia



Denny Crane: I don't fear death - never have... But I am afraid of being hooked up to a machine ... would you want to live like that?


Alan Shore: No, Denny, if it came to that my friend, I'd pull your plug.

Denny Crane: Pull a plug? What kind of a dead is that? I want you to shoot me! Denny Crane is not gonna be turned off like a...hair dryer! Live by the gun you die by the gun. 

sábado, 29 de março de 2014

Senhores do Expresso, a sério, eu vou trabalhar pra vocês (Sr. Nicolau, sem ressentimentos)


O Henrique Raposo, que costumo ler e aprecio algumas das suas ideias para o país apesar da irritante mania de começar montes de frases por "Sim, ..." e "Não, ..." abordou a problemática da abertura de uma nova caixa quando se está na fila de pagamento no supermercado. 

Ora bem, isso já foi falado aqui:
 http://aquifalasedetudo.blogspot.com.br/2014/01/a-lei-da-selva-e-o-kanguru-da-freira.html

E acho que se o Chefe se esquecer disto:
http://aquifalasedetudo.blogspot.pt/2012/12/o-que-eu-gostava-mesmo-era-de-ser.html

e disto:
http://aquifalasedetudo.blogspot.com.br/2013/08/cada-um-toma-que-quer.html

e se focar na brilhante premonição explicada aqui:
http://aquifalasedetudo.blogspot.com.br/2013/07/episodios-de-uma-novela-demasiado_25.html

Parece-me que sou uma contratação brilhante. Pensai no assunto.

sábado, 15 de março de 2014

Pedro Ribeiro e o Jesus e o Shéu e o Rui Costa e o Cardozo

Anda tudo numa algazarra porque o Pedro Ribeiro, comentador nesse antro de bom futebolês e gurus das opiniões imparciais nomeadamente sobre o Jesus, treinador do Benfica, resolveu, embutido do espírito que pegou, quiçá, da moderadora Cláudia Lopes, contribuir para o achincalhamento diversas vezes repetido nesse mesmo programa.

"Jesus conseguiu destruir a imagem de uma noite de glória...". Porque imediatamente a seguir ao que se passou o Benfica foi penalizado com pena de derrota e os adeptos londrinos foram autorizados a fazer chichi nas paredes do museu Cosme Damião aquando da segunda mão da eliminatória. 

Vamos lá por as coisas no seu devido lugar: o Shéu, é uma grande pessoa, um enorme benfiquista, decerto bom profissional, ganhou 17 títulos pelo Benfica etc etc. Já lá está há 44 anos. Nestes 5 anos de Jesus o Shéu sempre lá esteve, quando o Jesus perdeu, o Shéu também perdeu, Rui Costa idem e Cardozo também. Que merda é essa agora de ir à wikipédia demonstrar que o Shéu ganhou muito mais que o Jesus pelo Benfica, esquecendo a parte das derrotas? Aquando do episódio do Luisão com o árbitro na Alemanha o Pedro Ribeiro escrevia "Ainda haverá Benfica dentro do Benfica?". Claro que havia! O Shéu estava lá! Mas aí não convinha lembrar o Senhor Shéu. Aí, o Shéu foi desrespeitado por todos aqueles que como o Pedro Ribeiro puseram em causa a sua competência e o seu Benfiquismo. Hoje utiliza-se o Shéu como arma de arremesso ao Jorge Jesus.

A opinião do Pedro Ribeiro sobre estes assuntos não é mais nem menos válida do que a opinião de outro adepto qualquer. O que é triste em tudo isto é que o Pedro Ribeiro não percebeu a envolvência e o ambiente do programa de que faz parte. Ainda não percebeu que ele, como Benfiquista, está ali para dar credibilidade ao gozo constante e à falta de respeito com que é tratado o treinador do Benfica neste programa.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Notícias do peito da Sara Matos


O CM diz  "Pedro Teixeira e Lourenço Ortigão juntos em festa" que se pode confundir com "Pedro Teixeira fez umas festas à Sara Matos". E por falar no peito da Sara Matos e em coisas do CM...

domingo, 9 de março de 2014

Novidades do Apito Dourado e porque fogem os ratos


 "
Teofilo Santiago, inspector da PJ reformou-se
Li algures, que o «Apito Dourado» foi o processo com o qual diz que perdeu a inocência.
TS_É verdade. Nunca me passou pela cabeça… Sempre transmiti às pessoas que estavam comigo para que não se preocupassem. Que era impensável que alguém nos pudesse querer fazer o que quer que seja, porque nem se atreveriam a tal. E olhe, as circunstâncias falam por si… O sermos despedidos se calhar foi o menos… O que se passou foi feio, foi das coisas mais feias… Nem consigo encontrar um adjectivo para qualificar o procedimento ou o processo que levou à nossa saída.
DN-Responsabilidade apenas da hierarquia de então?
TS_Também teve a ver. Mas, como foi dito, por vontade do poder político. Depois vem por aí abaixo.
DN-Foi o poder do futebol? Não tinha a noção desse poder?
TS_Tínhamos. Mas o problema ali não foi o futebol. Foram as implicações de pessoas que estariam ligadas aos vários poderes, nomeadamente ao político, em tudo aquilo. E a necessidade enorme que alguns responsáveis tinham em saber o que é que se passava na investigação. Até aí, o poder político, pelo menos que eu me apercebesse, independentemente de pessoas mais ou menos próximas serem tocadas, nunca tinha ultrapassado aquela linha. Aqui não! Ultrapassou-se tudo. Disseram-me claramente, «até às tantas horas, tem que se saber quem são as pessoas e o grau de envolvimento». Eu ri-me.
DN_Conta-se que na lista das buscas colocou alguns nomes no fim para que ninguém se apercebesse. Isso é uma história ou foi verdade?
TS-Não foi assim. Nem tive um peso tão grande na investigação do «Apito Dourado» como tive noutras. Tinha as equipas de vigilância comigo e a partir da morte do Fehér há uma situação particular na investigação que dá o salto e aí é que, juntamente com os outros elementos da direcção, tivemos que tomar uma opção de estratégia a seguir. E a opção foi não comunicar à hierarquia o que se estava a passar. Se nós cumpríssemos com esse dever de lealdade que nos era exigido, então o director nacional da PJ teria também que ter o mesmo dever para com a ministra da Justiça e lá ia tudo, como sói dizer-se em linguagem policial, com os ciganos. Mas nunca me passou pela cabeça o que se seguiu… Quer dizer … pressentia-se qualquer coisa, mas aquilo?! A grande vítima foi o Dr. Artur Oliveira.
DN-A história do pai e do irmão serem investigados em Coimbra por burla na Caixa Agrícola?
TS_Investigados?! Um processo que já estava mais do que encerrado, ressuscitou-se, fazem-se buscas com aparato e tudo mais para justificar o que iam fazer!!! Não se faz!
DN-Ele, director, demitiu-se. Vocês, adjuntos, solidarizaram-se… Esperava ser reconduzido? Não acha que foi de alguma ingenuidade?
TS_Rejo-me por princípios. Perdi a inocência nesta coisa porque apesar de já ter muita experiência disto há limites. Adivinhava o que se estava a passar, ele não era o alvo. Por isso é mais lamentável ainda o que lhe foi feito. Houve pessoas, n pessoas, que me disseram «não ponha o lugar à disposição, não faça isso, obrigue-os a ser eles a tomar a atitude». Mas por uma questão de ficar bem comigo… Tenho três regras, a Constituição, as leis e a ética.
DN-Os alvos eram vocês os dois, você e o João Massano?
TS_Éramos. A partir daí…
DN-E a causa era o «Apito Dourado»?
TS_A causa não era o «Apito Dourado», eram os poderes entenderem que não podia haver uns cidadãos, embora com responsabilidades policiais, que não lhes respondessem àquilo que eles queriam saber.
"

sábado, 8 de março de 2014

coisas espertas do facebook que contribuem para um mundo melhor


José Eduardo Martins, o homem que ficou conhecido no parlamento por isto aqui, está numa onda de grande inspiração pelo facebook e pôs o dedo na ferida pelo menos nestas duas coisinhas. Primeiro, coitadinho do Diogo Feio que não pode ficar sem um cargo público, não vá ele ficar desempregado ou ser obrigado a deixar a zona de conforto. E depois, pronto, é tão verdade que não é preciso dizer mais nada.

Salvar o Salmão

Yesterday it’s a tree, today’s is a salmon, tomorrow it’s ‘Let’s not dig Alaska for oil cause it’s too pretty?” Let me tell you something. I came out here to enjoy nature. Don’t talk to me about the environment!

quinta-feira, 6 de março de 2014

A selecção de todos nós menos alguns

Ontem estreou-se o Ivan Cavaleiro pela selecção nacional do Jorge Mendes. Isso por si só não é muito relevante tendo em conta a quantidade de estreias na selecção que depois deixam as convocatórias após terem estado na montra. 

O que é relevante aqui é que o jogador é do Benfica e, salvo raras excepções como o Amorim ou o Coentrão, não tem sido costume o Benfica ter jogadores na selecção (o André Gomes também já lá esteve - ver parágrafo anterior). A ausência de jogadores do Benfica na selecção contribui para o divórcio entre portugueses (benfiquistas neste caso) e a sua selecção, o que tem influência na prestação da equipa porque como é sabido a malta gosta é de ondas de apoio e bandeiras nas janelas e quanto maior é a quantidade de portugueses a gostar da selecção maiores são as possibilidades de chegar longe nas provas. 

É por isso importante que o próprio Benfica consiga ter bons jogadores portugueses no plantel, coisa que tem sido impossível, dado a qualidade dos jogadores estrangeiros que têm vindo cá parar e a necessidade de lutar por títulos. A estreia do Cavaleiro é portanto, digamos, uma coisa boa para a selecção. 

Na verdade, a minha grande capacidade de análise à capacidade técnico táctica dos jogadores, treinadores e resto de participantes no mundo da bola dizia-me que o Ivan Cavaleiro, apesar de melhor que um Djaló, nunca chegaria a ser um grande jogador, nunca passaria daquele nível mediano característico dos extremos que passam pelo fcp. Mas ontem, o Cavaleiro fez aquela assistência para o golo do Coentrão e aquilo, assim do nada, augura um futuro bem melhor! Afinal o Cavaleiro vai ser melhor que um Licá, vai ser melhor que um Varela. Na verdade, o Ivan Cavaleiro vai chegar ao nível do Boa Morte. Tal e qual - O Ivan Cavaleiro é o novo Boa Morte. E se o Varela lá anda, há lugar para o Cavaleiro.

Mais dois ou três tipos do Benfica e a gente faz as pazes com a selecção.

Ainda a noite dos Óscares


segunda-feira, 3 de março de 2014

Cidade de Deus - por falar em Óscares e filmes e isso


dúvida existencial: não será mesmo fora de jogo?


Parece que a maioria da malta está convencida que o golo d'Os Belenenses foi mal anulado e saquei esta imagem do livro das caras. Não estou bem dentro dos regulamentos mas, a bola vai na direcção de um jogador em posição de fora de jogo. Esse jogador está na direcção da baliza e no raio (um metro) de acção do guarda redes. Será que não tem influência na jogada? A acção do guarda redes é claramente influenciada pela posição do jogador que está fora de jogo.

Não sei ao certo o que dizem as regras e é possível que realmente o golo tenha sido mal anulado, mas então a regra está errada e é preciso mudá-la. Mas ok, entretanto tirem lá dois pontos na "liga da verdade". O Rui Santos já esfrega as mãos.

domingo, 2 de março de 2014

Pijama do amor


Uma jovem de 18 anos foi passar o fim de semana na casa dos avós.

Quando chega a noite a moça vai para o seu quarto, despe toda a roupa e
deita-se na cama. A avó entra no quarto e pergunta assustada:
- O que é isso, minha neta?
- Isso o quê avó?
- Estás sem roupa...
- Não avó, estou a usar o pijama do amor --responde a jovem.
- Extraordinário - diz a velhinha.

Chega à noite, o velhinho entra no quarto e vê a velhinha nua.


- O que é isso, mulher?
- Isso o quê, meu velho?
- Estás aí , deitada sem roupa?
E ela responde:

- Não estou sem roupa, estou a usar o pijama do amor...
E o velho:


- Pelo menos podias tê-lo passado a ferro...!!!

ainda alguém se lembra do Carlos Fino?


Agora anda por lá o Milhazes, persona non grata neste blog. Mas antes andava lá outro, Carlos Fino, que teve de se pôr a andar.

sábado, 1 de março de 2014

Benfica’s Nicolas Gaitan Scores Amazing “Panenka” Free Kick From 18 Yards.



Image and video hosting by TinyPic

Argentine forward Nicolas Gaitan scored this superb free kick as Benfica set up a Europa League last-16 clash with Tottenham after a 3-0 win over PAOK (4-0 on aggregate) at the Stadium of Light.

Gaitan dinked his effort brilliantly over the wall from 18-yards to put the Portuguese side in front.


Stop! Nicolas Gaitan (Benfica) scores Panenka free-kick golazo v PAOK

Taking the Panenka to the next level…

Gaitan saw Sergio Ramos, Pirlo, and Zizou tonight and raised them, by scoring a sumptuous panenka free-kick. Gaitan dinked his free over the wall like a golfer with a sand wedge, and with his disguised run-up, the keeper had no chance of spotting what he was plotting.
Stop! What a cheeky golazo!
Site Meter Site Meter