quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Os cucos, o Governo e o Petróleo


O cuco, aquele animal engraçado que ganhou fama nos relógios e naquela canção em que não gosta de couves (mas que passa a gostar depois de levar uma carga de porrada),
é um bicho esperto. Talvez preguiçoso e mesquinho. Mas esperto.
Os cucos pais querem procriar mas não querem o trabalho que dá andar a criar os filhos, então põem os ovos nos ninhos dos outros pássaros. E espera que seja a outra espécie que os crie e alimente. Como se isso não bastasse, a cria do cuco nasce primeiro que as crias dos outros. E como o cuco é um bicho que não gosta de concorrência, empurra os outros ovos do ninho para fora. Desta maneira passa a ser “filho único” e é alimentado sozinho pelos pais adoptivos. O cuco é um aproveitador. Sobrevive à custa dos outros.

O governo precisa de dinheiro. As grandes empresas petrolíferas também. As pessoas precisam de gasóleo e gasolina. O governo aumenta os impostos sobre estes produtos petrolíferos. As pessoas continuam a precisar de gasóleo e gasolina. As empresas têm de manter (ou aumentar) os seus lucros. Não interessa se há concorrência ou não. Todas as empresas ganham. E como o imposto é à percentagem, quanto maior for o preço do gasóleo, mais ganha o governo. Quem paga é sempre o mesmo. São uns aproveitadores. Sobrevivem à nossa custa. Por agora, o preço do petróleo está a baixar no mercado. Mas segundo os donos das empresas, é possível que o preço do gasóleo e gasolina subam. É curioso como esse preço nunca desce quando o preço do petróleo no mercado aumenta.

Nestas coisas é sempre importante saber quem está armado aos cucos e quem os sustenta.
A autoridade para a concorrência parece que não serve de nada. Diz que não há cartelização, está tudo bem.
Ou se “dá porrada” no governo e este baixa os impostos, fazendo com que baixe também o preço do combustível; ou se “dá porrada” nas empresas deixando de abastecer nas grandes empresas (passa-se a ir às bombas dos supermercados…ou então a Espanha) e elas baixam o preço porque não têm outro remédio.

Porque, como diz a cantiga, foi preciso bater no cuco para ele passar a gostar de couves.

2 comentários:

FaceToFace disse...

Andas a ficar esperto

eu disse...

mas na cantiga o cuco não chega a levar porrada
"era uma vez um cuco que não gostava de couves... mandou-se vir o pau para bater no cuco... o pau não quis bater no cuco..." e tal até que vem a morte e já todos querem fazer as coisas mas o pau não chega a bater no cuco
(e não utilizei pontos de exclamação!!)

Site Meter Site Meter